ES dará salto no ranking de competitividade nacional em 2022

por Sandro Márcio Viturini

RANKING DE COMPETITIVIDADE DOS ESTADOS BRASILEIROS 2021

Desde o 2020 o ES se mantém em 5º lugar como Estado mais competitivo do Brasil no Ranking de Competitividade dos Estados, elaborado pelo Centro de Liderança Pública (CLP). O resultado deste ano, o 5º lugar novamente, não me surpreende, pois a solidez fiscal, as políticas públicas e a melhoria em infraestrutura que vêm sendo trabalhadas com seriedade nos últimos anos são via pavimentada para o sucesso. Porém, o que está por vir em 2022 será surpreendente! 

Essa semana, a Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei Complementar (5/21) que prorroga por 15 anos o período de incentivos fiscais concedidos pelos estados e pelo Distrito Federal para empresas comerciais. Essa Lei vai verticalizar os prazos e garantir que os mesmos benefícios de uma indústria se estendam para as empresas do setor de logística e comércio, o que é perfeitamente coerente uma vez que um não sobrevive sem o outro.  Tenho convicção que a matéria será aprovada no Senado, em breve. 

Esse Projeto de Lei é a cereja do bolo capixaba! 

Grandes players demoraram para descobrir o ES, até porque esse reposicionamento, essa reconstrução da imagem, da estrutura política e do investimento em infraestrutura no Estado começou de fato há pouco mais de 20 anos. Quando as empresas começaram a se sentir seguras e vieram, parte dos prazos desses benefícios já tinha corrido e o tempo estava cada vez menor para as marcas que ainda estudavam a vantagem de investir no mercado capixaba. Agora, elas voltam a contabilizar que até 2032 terão o incentivo.

Um bom exemplo é o Grupo Arezzo & CO. Abriu o Centro de Distribuição no ES em 2016, então teria benefício por 8 anos. Com pouco tempo, a empresa sentiu que fazia uma boa diferença estar em terras capixabas e o mercado acompanhou isso. Nessa trajetória, ainda ficou consolidado o benefício do e-commerce e o ES se transformou em uma rota logística para o Sudeste, linha logística de entrada e saída de mercadoria.  Hoje, se comparado a Santa Catarina, que possui benefícios semelhantes,  o ES chega a ter um custo de operação 2% mais barato. Pense neste percentual de diferença para uma empresa que fatura R$ 1 bilhão.   

Quando se somam as perspectivas de 2022, com a privatização da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa); o final do diferencial de alíquota (DIFAL) do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS);  o investimento, via Fundo Soberano, em Inovação e Desenvolvimento anunciado pelo governo estadual; expansão da malha ferroviária e rodoviária; a mobilização inédita do empresariado capixaba e de Fundos de Investimentos para investir em infraestrutura, que nos dá a projeção de mais de 800 mil2 de armazéns de alto padrão em condomínios industriais logísticos modernos para os próximos anos; a conta é que o ES tem 100% de tudo para dar certo.

Publicado por KICk

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *